Novidades

A força de trabalho feminina avançou mundialmente, mas ainda não se igualou ao número de homens empregados.

As discrepâncias persistem em várias questões, como no número de mulheres na liderança de organizações empresariais e na remuneração. As mulheres continuam enfrentando barreiras para ocupar cargos de gestão nas empresas e seus salários ainda são inferiores ao dos homens.

As desigualdades entre os gêneros nos ambientes de trabalho não estão resumidas apenas nas questões de cargos e salários. As questões relacionadas à saúde mental afetam mais as mulheres que os homens. No Brasil, enquanto 3% dos homens são afastados de suas atividades de trabalho devido a transtornos mentais, o número de mulheres afastadas é 9,2% (Previdência Social).

Os principais motivos que afetam a saúde mental feminina em seu ambiente de trabalho

  • Insinuar que as trabalhadoras não deveriam exercer determinadas funções.
  • Interromper constantemente uma mulher quando ela se pronuncia em uma reunião.
  • Desqualificar argumentos de uma mulher insinuando que ela tem desequilíbrio psicológico ou biológico.
  • Oferecer informações incompletas à mulher para a execução de uma tarefa para depois alegar que ela é incompetente.
  • Oferecer tarefas menos valorizadas para as mulheres e mais estratégicas para os homens.
  • Fazer observações constantes relacionadas à roupa e ao corpo da trabalhadora.

Fonte: Fundacentro

 

Quais seriam os caminhos para tornar os ambientes de trabalho mais saudáveis?

A resposta está nas orientações dadas pela Organização Mundial da Saúde para as empresas tornarem o ambiente de trabalho saudável. A OMS recomenda: entender as necessidades dos empregados individualmente, ajudando a desenvolver melhores políticas para a saúde mental no ambiente de trabalho; alertar funcionários sobre ferramentas de apoio e sobre onde eles podem encontrar ajuda dentro ou fora da organização; as intervenções de saúde mental precisam ser parte de uma estratégia integrada de saúde e bem-estar que cubra prevenção, identificação precoce, apoio e reabilitação.

A OMS chama a atenção para a responsabilidade das empresas em apoiar os funcionários com transtornos mentais para continuarem ou retornarem ao trabalho e indica algumas ações, como a flexibilidade da jornada de trabalho, o redesenho do trabalho, o enfrentamento de dinâmicas negativas do ambiente e a comunicação sobre apoio confidencial podem ajudar pessoas com transtornos mentais a continuar ou retornar ao trabalho.