Novidades

Em tempos de taxa de desemprego alta, como vivemos no Brasil, conseguir uma nova vaga no mercado de trabalho é a expectativa de milhares de pessoas. Por necessidade, muitos trabalhadores aceitam a colocação “que vier”.

Será que esta é uma boa decisão?

Segundo um recente estudo, publicado no International Journal of Epidemiology, as pessoas que atuam em “qualquer trabalho” não estão melhores física ou psicologicamente que pessoas desempregadas.

Neste estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Manchester (Reino Unido), foram acompanhados cerca de 1.200 adultos (entre 35 e 75 anos) desempregados e que tinham conseguido um novo emprego, mas de má qualidade, e os que conseguiram ocupações de boa qualidade entre os anos de 2009 e 2011. O objetivo foi examinar a associação da transição do emprego com a saúde.

Os resultados mostram que os indicadores de estresse crônico (colesterol, níveis de proteína C reativa, entre outros) foram piores entre aqueles trabalhadores que foram para atividades de má qualidade daqueles que migraram para atividades de boa qualidade.

Assim, a qualidade do trabalho, incluindo a presença de estressores, como insegurança, pouca autonomia e pouca satisfação no trabalho, pode ser importante para determinar se a transição para o trabalho beneficia ou prejudica a saúde.

Os pesquisadores apontam que mesmo tendo uma boa renda, um trabalho ruim não traz benefícios se comparado com estar desempregado e alertam que pessoas em um emprego ruim têm maiores taxas de mortalidade e saúde mais fraca.

Como melhorar a qualidade de vida no trabalho

As empresas devem ficar atentas aos sinais de seus colaboradores descontentes com o ambiente de trabalho. Várias pesquisas já provaram que um empregado desmotivado gera muito mais custos que benefícios, além de ele prejudicar a própria saúde, ele pode afetar as relações de trabalho entre os colegas. Portanto, é essencial investir tempo e recursos para monitorar e motivar sua equipe.

Algumas ações para a melhoria da QVT: valorizar um trabalho bem feito é uma ótima forma de motivar os funcionários; proporcionar um ambiente físico adequado e com conforto térmico, acústico e de iluminação para o trabalho e organização das tarefas diárias, planejando-as para serem executadas dentro do horário normal de trabalho.

Já por parte dos empregados valem as dicas do Instituto Brasileiro de Coaching para melhora a QVT:

  • Foco: um profissional focado e comprometido com seu trabalho sofre menos interferências negativas do ambiente;
  • Afaste-se das fofocas: conversas fúteis sobre a vida dos colegas e superiores só alimentam um ambiente hostil. Afaste-se delas e procure eliminar esta conduta do seu dia a dia;
  • Aprenda a trabalhar em equipe: o trabalho em equipe é uma das principais habilidades exigidas pelas empresas. Colabore com seus colegas e aprenda com eles também;
  • Cumpra prazos e horários: atender suas demandas com qualidade e cumprir prazos e horários evita estresses e que seu desempenho seja questionado;
  • Cultive bons relacionamentos: mantenha boas relações interpessoais com seus colegas e superiores. Isso torna o ambiente melhor e mais favorável. Assim como no aspecto pessoal, a QVT é essencial para o desenvolvimento dos colaboradores, tanto dentro como fora do ambiente da empresa. Neste sentido, é importante salientar o papel social das organizações também na formação de cidadãos mais conscientes de seu papel na sociedade.